“Asas que protegem o país”: Arquivo Nacional promove exposição sobre Santos Dumont

Obras expostas no Arquivo Nacional (Foto: Reprodução/AN)

Os 110 anos do primeiro voo do Demoiselle, considerado o melhor modelo de avião criado no início do século XX, serão lembrados na exposição “Asas Que Protegem o País – Tributo a Santos Dumont”. A mostra, que conta com uma réplica da aeronave em tamanho natural, foi organizada pelo Centro de Documentação da Aeronáutica (CENDOC) em parceria com o Arquivo Nacional.

Os visitantes também poderão acompanhar um acervo inédito de fotografias de aviação premiadas no Brasil e no exterior, de Johnson Barros. As obras ficam em cartaz no Salão Nobre do Arquivo Nacional.

Em novembro de 1907 Santos Dumont concebeu o Demoiselle, um pequeno avião de 56 kg. Com a aeronave, ele fez voos em Paris e seu objetivo era que fosse fabricada em larga escala, popularizando a aviação.

“Asas Que Protegem o País – Tributo a Santos Dumont”
Data: Até 31 de janeiro de 2018
Local: Salão Nobre do Arquivo Nacional
Horário: 10h às 17h
Praça da República, 173 – Centro – RJ
Informações: cendoc@fab.mil.br
Entrada gratuita

Anúncios

Itaboraí: Biblioteca abre exposições de ilustrações e obras raras

Biblioteca Municipal Joaquim Manuel de Macedo, em Itaboraí (Foto: Reprodução)

A Biblioteca Municipal Joaquim Manuel de Macedo, em Itaboraí, região metropolitana do Rio, realiza na próxima quarta-feira, a partir das 17h, a abertura de duas exposições. A primeira, chamada de “Analógico e Digital”, do professor Carlos Alexandre Chavão, trata de ilustrações coloridas com a técnica aquarela. A segunda apresenta obras raras, em homenagem ao Dr. Heitor Costa, herdeiro do jornal “O Itaborahyense”, com itens de seu acervo pessoal. As informações são do jornal “O São Gonçalo”.

Segundo o gestor da instituição, Wanderson Silvas, o projeto possibilita a vivência das artes compostas por elementos diversos, sejam eles históricos ou modernos.

“A exposição proporciona a ampliação dos conteúdos conceituais para a formação dos artistas locais, constituindo uma excelente oportunidade para a percepção das obras expostas e sua relação com o espaço”, afirmou Wanderson ao jornal.

Morador de Itaboraí, Carlos Alexandre Chavão é professor de História no município e servidor há 24 anos, lotado no Centro de Memória da Biblioteca Municipal. Carlos iniciou na pintura com aquarela há três anos. “Nosso mundo foi invadido pela informática e esse é um caminho sem volta. Sendo assim, nossas vidas se transformam em uma mistura de elementos analógicos, humanos, naturais, biológicos – que tem um ritmo próprio – e outros ligados à introdução instantânea, bits, hardware, software, etc. Esses elementos andam juntos, mas nem sempre se entendem”, comentou.

O jornal “O Itaborahyense” foi fundado, em 1895, pelo avô do Dr. Heitor Costa, Hermeto Luis da Costa, e posteriormente passou para as mãos do seu pai, Hermeto Luis da Costa Jr. É considerado o terceiro jornal mais antigo do Estado do Rio de Janeiro. Caracterizou-se por ser um jornal da família que, desde os tempos do Império, difundia informações, notícias e a cultura da cidade.

A exposição gratuita fica até o dia 13 de setembro. A biblioteca funciona na Praça Marechal Floriano Peixoto, 39, Centro, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Mais informações pelo email: bibliomacedo@itaborai.rj.gov.br.

Poesia Agora: Caixa Cultural apresenta trabalho de mais de 500 poetas

Caixa Cultural leva ao público a experiência da poesia (Foto: Divulgação)

Uma ótima opção para os amantes da poesia. A Caixa Cultural do Rio de Janeiro apresenta ao público a maior exposição do gênero no país. Estão reunidos os trabalhos de mais de 500 poetas brasileiros e estrangeiros, entre textos, livros, vídeos, fotos, registros sonoros e saraus.

A mostra contempla diferentes abordagens, divididas em alas. A ideia é transmitir ao visitante um mapeamento do cenário da poesia contemporânea em diferentes regiões do país, além de inspirar o público a criar seus próprios versos.

Em cartaz até 06 de agosto.
Entrada franca.
Local: Caixa Cultual – Av. Almirante Barroso, 25, Centro.

Paço Imperial promove exposição sobre o fotógrafo Marcel Gautherot

Gautherot: fotografias em exposição (Foto: Divulgação)

Basta olhar para o antigo prédio do Paço Imperial, construído no século XVIII, para voltar no tempo. Essa imagem do passado ganha ainda mais ênfase com a exposição do fotógrafo francês Marcel Gautherot (1910-1996).

Gautherot  viveu a maior parte de sua vida no Brasil e produziu extensa documentação fotográfica sobre o país. Viajando por todo o território brasileiro, construiu uma obra de extraordinária qualidade estética nos dois domínios que privilegiou − a fotografia etnográfica e a fotografia de arquitetura.

Exposição Marcel Gautherot – Brasil: Tradição, Invenção.
Em cartaz até 20 de agosto. Entrada franca.
Local: Paço Imperial – Praça XV de Novembro, 48, Centro.

Após jogos olímpicos, atrações culturais movimentam área revitalizada no Rio

Quatro meses após os jogos Rio 2016, áreas como o Boulevard Olímpico continuam movimentadas. AquaRio é a novidade da zona portuária.

zona-port

OPÇÕES CULTURAIS. Áreas revitalizadas recebem turistas de vários lugares (Foto: Thiago Cirne).

A zona portuária entrou definitivamente no roteiro dos turistas que visitam o Rio de Janeiro. Grande parte desse prestígio se deve aos Jogos Rio 2016, quando cerca de 4 milhões de pessoas passaram pelo espaço.

Muitos dos que não acompanharam as partidas, exibidas em telões instalados no chamado Boulevard Olímpico, guardaram a oportunidade para depois, e, agora, frequentam o local. Mas, o que pode ser visto atualmente na Praça Mauá e em seus arredores? A resposta é simples e atende a vários gostos: food trucks, museus, feiras, passeios no VLT e a mais nova atração, o AquaRio. 

Praça XV

O slogan “Quem te viu, quem te vê” não parece exagero. Após a retirada do elevado da Perimetral, entre 2013 e 2014, a histórica Praça XV ganhou novos moldes – que acompanharam as alterações no antigo “Mergulhão”, transformado no novo túnel Marcello Alencar. Algumas mudanças paisagísticas também foram realizadas. A praça ganhou um dos pontos do VLT (ainda em fase de testes) e marcou o início do Boulevard durante os jogos. Além de passagem para quem é usuário das barcas, o local recebe corredores e skatistas. 

Pira da Candelária

Parada obrigatória para selfies durante os jogos, a pira olímpica, localizada em frente à Igreja da Candelária, permanece no local. A escultura foi instalada em uma praça, também remodelada. Outro atrativo é a proximidade do Centro Cultural Banco do Brasil.

Museu do Amanhã

Visitantes observam as exposições do Museu do Amanhã (Foto: Thiago Cirne).

Visitantes observam as exposições do Museu do Amanhã (Foto: Thiago Cirne).

Pensar em revitalização da Praça Mauá sem lembrar do Museu do Amanhã é praticamente impossível. O prédio, projetado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava, foi inaugurado em dezembro de 2015. Prestes a completar seu primeiro ano de funcionamento, a atração recebe visitantes de todo o mundo. A proposta é a conscientização sobre as mudanças climáticas e a condição do homem no mundo atual e futuro. “Após os jogos o museu continua recebendo um grande número de visitantes e isso é bastante positivo”, afirmou um funcionário do Museu do Amanhã, ressaltando ainda que a Praça Mauá também segue recebendo muitos turistas.

Mural “Etnias”

A obra de Eduardo Kobra possui 2,6 mil metros quadrados e chama a atenção pela precisão e qualidade nos desenhos. Registrar uma fotografia diante dos painéis tem ainda um significado especial: trata-se do maior grafite do mundo, de acordo com o Guinness Book.

VLT

zona-port-3

VLT: novo meio de transporte conquistou os turistas (Foto: Thiago Cirne).

Após um longo período de obras, a Avenida Rio Branco passou a conviver com seu novo e ilustre meio de transporte: o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos). A atração é um projeto da Prefeitura da Cidade e promove a interligação da região portuária ao aeroporto Santos Dumont.  O primeiro trecho do VLT tem aproximadamente 14 km de trilhos. O segundo trecho fará a conexão entre a Central do Brasil e a Praça XV, informa o site VLT Carioca.

AquaRio

Crianças e adultos visitando um aquário marinho não é mais (apenas) cena de filme. Inaugurado em novembro, o equipamento possui 26 mil m2 de área construída e 4,5 milhões de litros de água, sendo o maior da América do Sul. Reúne 350 espécies e promove exposições sobre temas relacionados ao ambiente marinho e aquático. Um acordo com a Prefeitura garante visitas escolares gratuitas aos estudantes da rede pública municipal, mediante agendamento prévio.

 

Caixa Cultural Rio de Janeiro apresenta a 59ª edição da exposição World Press Photo

xposição World Press Photo 2016 acontece até 19 de junho (Foto: Divulgação)

Exposição World Press Photo 2016 acontece até 19 de junho (Foto: Divulgação)

Imagem dos refugiados na Europa foi a vencedora do prêmio principal. Fotógrafo brasileiro recebeu dois prêmios em diferentes categorias

Fonte: Agência Caixa de Notícias

A 59ª edição do World Press Photo, que é considerado o mais prestigiado concurso internacional de fotojornalismo, leva à CAIXA Cultural Rio de Janeiro, de 18 de maio a 19 de junho (terça-feira a domingo), a exposição dos mais impactantes registros fotográficos da imprensa mundial do último ano. São 164 imagens sobre temas como política, economia, esportes, cultura e meio ambiente. A mostra tem entrada franca e patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal.

A World Press Photo do Ano, a grande vencedora, foi a imagem Esperança por uma nova vida, do australiano Warren Richardson. A foto apresenta um momento angustiante na fronteira húngaro-sérvia, em agosto passado, no instante em que um homem passa o seu bebê através do arame farpado. Richardson ficou acampado com os refugiados durante cinco dias, quando um grupo de 200 pessoas chegou para tentar atravessar a fronteira. A imagem contou apenas com a iluminação da lua para que o flash não atraísse a polícia que estava por perto.

“Desde o início, nós olhamos para esta fotografia e soubemos que era importante. Tem muito poder na sua simplicidade, pelo simbolismo do arame farpado, e dá uma noção visual do que está acontecendo com os refugiados”, explica Francis Kohn, presidente do júri e diretor de fotografia da Agence France-Presse.

Nesta edição, o Brasil está representado pelo fotógrafo brasileiro Mauricio Lima, premiado em duas categorias, e pelo Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, que foi cenário de série de fotos do espanhol Sebastián Liste.

Nascido em São Paulo, Mauricio Lima ganhou o 1º lugar na categoria Notícias Gerais, com a imagem de um adolescente de 16 anos – militante do Estado Islâmico, ferido na guerra da Síria –, feita para uma reportagem do New York Times, e o 2º lugar na categoria Vida Cotidiana, com a foto de um grupo de crianças da tribo Mundurucu brincando no Rio Tapajós, no Pará, feita para a Al Jazeera America, numa reportagem sobre a construção de hidrelétrica na região que pretende alagar grande parte das terras da tribo.

Lima é um dos fotógrafos brasileiros mais requisitados por veículos de comunicação internacionais e um dos principais colaboradores do NY Times. É vencedor do Prêmio Pulitzer 2016, junto com outros três profissionais, e foi eleito Fotógrafo do Ano pelo POY Latam, o maior e mais importante concurso de fotografia da América Latina.

Os brasileiros também vão se identificar com a série fotográfica do espanhol Sebastián Liste, que recebeu o 3º lugar na categoria Vida Cotidiana. Liste fotografou a rotina do Papo Reto, coletivo de mídia independente do Complexo do Alemão, que registra a vida dos moradores da comunidade.

O World Press Photo 2016 atraiu inscrições de todo o mundo: 5.775 fotógrafos de 128 nacionalidades inscreveram 82.951 imagens. O júri distribuiu prêmios em oito categorias para 41 fotógrafos de 21 países: Austrália, Áustria, Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Irã, Itália, Japão, México, Portugal, Rússia, Eslovênia, África do Sul, Espanha, Suécia, Suíça, Síria, Turquia e EUA.

“Há anos a World Press Photo vem abordando a questão dos refugiados de conflitos no Oriente Médio e África. Não fosse pelas fotografias, talvez não soubéssemos a real gravidade do que está acontecendo. É uma das maiores crises humanitárias da História”, enfatiza Rafael Ferraz, organizador da exposição e sócio da Capadócia Produtora Cultural, responsável há nove anos por trazer a mostra ao Brasil.

A World Press Photo, organização independente sem fins lucrativos, promove o mais importante concurso internacional de fotojornalismo. A fundação está empenhada em apoiar e promover altos padrões de qualidade na fotografia, com o objetivo de gerar interesse e reconhecimento no grande público pelo trabalho dos fotógrafos e de outros jornalistas visuais, e pela livre troca de informações.

Serviço:
Exposição World Press Photo 2016
Entrada franca
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Galeria 4
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Data: 18 de maio a 19 de junho de 2016 (terça-feira a domingo)
Horário: 10h às 21h
Classificação indicativa: 16 anos
Agendamentos: agendamento@gentearteirarj.com.br ou (21) 3980-4898
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal

Caixa Cultural: Imagens, sons e folclore

Caixa

A Caixa Cultural do RJ promove a instalação “Folclore Digital” (Divulgação Caixa Cultural)

A instalação Folclore Digital tem como objetivo reunir, em uma ambientação multimídia, alta tecnologia para aproximar o público dos personagens do folclore brasileiro por meio de projeções.

A ideia dos artistas Ygor Marotta e Ceci Soloaga é combinar grafite digital, poesia, personagens animados, luzes e música.

Local: Caixa Cultural
Terça a domingo, 10h às 21h. Entrada Franca.
Av. Almirante Barroso, 25 – Centro.
De 24/05 a 10/07.

Passaporte dos Museus Cariocas: iniciativa faz parte das comemorações aos 450 anos da cidade

Cerca de 40 museus podem ser visitados gratuitamente. Convênio é uma parceria entre Prefeitura e Instituto Brasileiro de Museus

Thiago Cirne

RIO – As comemorações pelos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro continuam. A Prefeitura, através do Comitê Rio450, e o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) firmaram em abril um convênio que oferece aos interessados gratuidade em 43 museus e centros culturais.

Segundo o portal do Instituto, o Passaporte oferece acesso aos museus cariocas, em determinados dias da semana, ou a obtenção de descontos nos ingressos. As informações sobre os museus participantes constam no próprio passaporte. Não é necessário ser carioca ou fluminense para utilizar o documento.

A tiragem inicial de 50 mil unidades foi totalmente entregue com a previsão de que se esgotasse rapidamente, ainda no mês de abril. Uma nova tiragem já está sendo estudada pelos idealizadores.

Os pontos de distribuição foram: Museu Nacional de Belas Artes, Museu da República, Museu Imperial, Museu de Arte do Rio, Museu Aeroespacial e Centro Cultural Banco do Brasil.

 

Passaportes foram distribuídos em abril (Foto: reprodução)  

Passaportes foram distribuídos em abril (Foto: reprodução)

O Passaporte tem validade até o último dia de 2015. Durante a visita, o documento recebe um carimbo que registra a gratuidade (uma única vez em cada museu).

Vale lembrar que instituições como Centro Cultural Banco do Brasil e Biblioteca Nacional já mantêm atividades gratuitas (como exposições e visitas) mesmo sem o Passaporte.

 

Mafalda 50 anos

“O Mundo Segundo Mafalda” marca meio século da simpática personagem

A Praça das Artes, no Centro de São Paulo, receberá a mostra “O Mundo Segundo Mafalda”, uma comemoração aos 50 anos da personagem criada pelo cartunista argentino Joaquim Lavado.

A menina tornou-se mundialmente conhecida por suas frases de caráter reflexivo. Muitas delas circulam atualmente pelas redes sociais, o que mostra sua legião de fãs. A exposição acontece de 17 de dezembro a 28 de fevereiro, na Praça das Artes, Avenida São João, 281- Centro. Entrada grátis.

Mostra narra os 50 anos de Mafalda

Mostra narra os 50 anos de Mafalda

Mafalda 50 anos

Mafalda 50 anos

Mafalda, personagem de Joaquim Lavado

Mafalda, personagem de Joaquim Lavado

A bola da vez

Na onda da Copa do Mundo, o Centro Cultural Correios apresenta a exposição “Arte Naïf – A Bola da Vez”. Momentos importantes da seleção Brasileira na competição são retratados através de aproximadamente 80 obras, de 38 pintores.

Relembrando as campanhas vitoriosas de 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002, a mostra conta ainda com atividades para o público, como visitas guiadas e oficinas. Entrada franca.

Visitação: Até 27 de julho, terça a domingo, das 12 às 19h.
Local: Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro – RJ
Contato: (21)2253-1580

image01

Artistas de diversas regiões mostram a alegria do futebol em suas telas (Divulgação).